Notícias & Novidades

Nove passos para quem quer se tornar doador de sangue.

14/06/2018

De 5 a 15 minutos. Esse é o tempo que dura uma sessão de coleta de sangue para doação, um processo que, garantem os especialistas, está cada vez mais simples, indolor e seguro.

Como as doações são fracionadas, cada bolsa de sangue coletada pode ser usada em quatro pessoas diferentes. Os beneficiados são pacientes de hospitais que precisam de reposição de sangue devido a doenças hematológicas (leucemia e anemia, principalmente) ou perdas sanguíneas em cirurgias.

Segundo a supervisora do banco de sangue do Hospital Erasto Gaertner, Karine dos Anjos, o mais comum é que os doadores sejam pessoas que têm parentes internados precisando de sangue, mas o ideal é que a população se conscientize e doe regularmente. “Ninguém sabe o dia de amanhã. Hoje você pode ser doador, mas amanhã quem garante que não será a pessoa que vai precisar de uma doação?”, questiona.

Para mostrar como o processo é rápido e simples, a Gazeta do Povo montou um guia com o passo a passo para quem deseja se tornar um doador, os requisitos para a doação e os mitos mais comuns sobre o assunto.

Passo a passo

Veja quais são os procedimentos obrigatórios para se tornar um doador de sangue. O processo pode parecer longo, mas não se engane: em geral, não dura mais que 45 minutos

1 – Procure o banco de sangue mais próximo da sua casa. É importante ter em mãos um documento com foto (passaporte ou carteira de identidade, motorista ou trabalho).

2 – No banco de sangue, você vai responder a um questionário a respeito de seus hábitos, estado de saúde, histórico de doenças e cirurgias e comportamento sexual. As respostas são confidenciais e é importante respondê-las com o máximo de sinceridade possível.

3 – Posteriormente, você será chamado para uma avaliação clínica, quando um médico vai checar as respostas do questionário, fazer uma breve entrevista e verificar seu peso e seus sinais vitais (pressão arterial, batimentos cardíacos e respiração).

4 – Aprovado pelo médico, você fará um exame rápido para verificar se tem anemia. Caso a doença seja constatada, a doação é vetada.

5 – Chegou a etapa mais esperada: a doação. Em uma sala especial, é feita a coleta de 450 ml de sangue. O procedimento é rápido – dura de 5 a 15 minutos – e a quantidade de sangue retirada é reposta rapidamente pelo organismo, por isso a doação não compromete a saúde.

6 – Você é encaminhado para a sala do lanche, para se alimentar. Se você se sentir bem (raramente há complicações), em 15 minutos é liberado e pode voltar à sua rotina normal.

7 – Nas horas que se seguem à doação, as únicas recomendações são que você se alimente bem, beba bastante água, não fume por duas horas e não faça esforço exagerado com o braço. Pessoas que exercem trabalho que exija esforço, como pedreiros e motoristas, podem solicitar ao médico um atestado para não comparecer ao trabalho e ter sua falta abonada. Por lei, todos os trabalhadores têm direito a um dia de folga uma vez por ano, sem prejuízo para o salário, em caso de doação voluntária de sangue.

8 – Depois de 15 dias, ficam prontos os exames de tipagem de sangue, hepatite B e C, doença de Chagas e HIV. Quem doa sangue no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar) recebe uma carteira com as informações em casa. Nas demais instituições, a pessoa é convidada a retirar o documento no próprio banco de sangue. Quando os exames constatam alguma doença, o doador é convocado a refazê-los e, caso o problema se confirme, a doação é vetada e o sangue, descartado. A carteira de informações não vale para pagar meia-entrada em eventos culturais. Para ter direito ao desconto, a pessoa precisa ter um certificado de doador fidelizado, obtido depois de realizar três doações em um período de 12 meses.

9 – Depois de 60 dias (para os homens) ou 90 dias (para as mulheres), você já pode doar sangue de novo.

Faça sua doação. Salve vidas.

Mais informações sobre doação de SANGUE ACESSE AQUI

Veja Também