Autorreflexão: o feedback próprio é essencial | Faculdade IBRATE - Graduação, pós-graduação e cursos na área de saúde

Notícias & Novidades

Autorreflexão: o feedback próprio é essencial

A autorreflexão não é algo simples, demanda tempo e humildade

A inevitável experiência adquirida com o passar dos anos, nos expõe conscientemente a frequentes e intermináveis reflexões que por vezes são carregadas de críticas pessoais e interpessoais. Neste singelo e natural processo estão contidas importantes e imprescindíveis alavancas para o desenvolvimento do autoconhecimento, o que considero fase predecessora do amadurecimento que a maioria somente atinge tardiamente, impactando profundamente sua eficácia prática.

Os jovens que anseiam por evolução pessoal e profissional dispõem de ferramentas simples e poderosas que os torna precoce e estrategicamente capacitados a altos níveis de desempenho pessoal e profissional com equilíbrio e segurança, obtendo então, a maturidade na juventude.

Não importa o quanto trabalhamos, estudamos e experimentamos novos desafios, sempre teremos algo a melhorar, seja na nossa vida pessoal ou na carreira.

Alguns instrumentos nos auxiliam na escalada. Entre eles, destaco o “feedback”, que se consolidou ao longo dos últimos anos como prática cada vez mais valorizada, principalmente pelas novas gerações, que não se contentam apenas com o apontamento da qualidade do seu trabalho. Além disso, muitos Millennials consideram este um aspecto determinante na hora de escolher entre ficar em um emprego ou abraçar uma nova oportunidade.

O problema, no âmbito profissional, está no fato de que, quanto mais reconhecimento recebemos e quanto mais alto o nosso cargo, menor é o feedback que se recebe. É nessas horas – e até antes disso – que é preciso desenvolver o hábito da autorreflexão. Esta é não só uma oportunidade de aprender mais sobre você como indivíduo, mas também um momento para sair do caos do dia a dia e analisar com mais calma tudo que o cerca.

Mas é aquele velho ditado: “falar dos outros é fácil, difícil é falar sobre nós mesmos”. A autorreflexão não é algo simples, demanda tempo e humildade. É preciso abrir mão de nosso orgulho para entender que temos, sim, diversos aspectos a serem melhorados. Pensando nisso, decidi separar quatro pontos que podem facilitar sua aplicação prática:

Método

Não adianta nada parar para refletir sem nenhum planejamento ou forma de registro. Evite fazer isso perto de muitas pessoas, em momentos que elas provavelmente precisarão interrompê-lo. Como você se organiza melhor? Seja escrevendo em uma espécie de diário, enviando e-mails ou mensagens para você mesmo, é essencial que todas as ideias que surgirem nesse momento de autorreflexão sejam lembradas de alguma forma. Não importa se você chegou a alguma conclusão ou não. Mesmo que o registro seja composto apenas por perguntas que possam ser retomadas em um outro momento.

Rotina

A autorreflexão deve fazer parte de sua rotina, sem ser diferente de frequentar uma academia ou ir para as aulas de inglês. Este processo não deve ser feito apenas quando você está “com tempo”, porque isso significa que ele não tem tanta importância quanto suas outras tarefas. Na verdade, ele é tão importante quanto, já que pode fazer com que essas tarefas sejam realizadas cada vez melhor. Portanto, estabeleça um horário e tente segui-lo à risca.

Ajuda

Assim como uma equipe precisa de feedback, um líder também deve se abrir aos comentários e sugestões feitos por seus colaboradores. Esse é o primeiro passo para aprender a abrir mão do orgulho e assumir seus próprios efeitos. De qualquer forma, a maioria das pessoas continua tendo dificuldade para fazer sua autorreflexão. Portanto, não se envergonhe. Vale a pena contar com o apoio de um terapeuta ou algum tipo de coach que te auxilie pelo menos nos primeiros meses da prática.

Meta

Estabelecer objetivos, mesmo que observados seus momentâneos limites, define parâmetros mensuráveis que em muito o auxiliará na efetiva implementação das adaptações e obtenção das melhorias.

Gostaria de ter experimentado, na juventude, o discernimento que a maturidade nos oferece tardiamente!

Publicado originalmente AQUI

Conheça a proposta do nosso curso de GRADUAÇÃO TECNÓLOGO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

Vem fazer o curso de RECURSOS HUMANOS COM QUEM ENTENDE DE PESSOAS!

CHAMA AQUI NO WHATS


Siga o IBRATE e acompanhe as novidades!

Veja Também